sexta-feira, 28 de maio de 2010

Diário de um skin



Estou mesmo a acabar de ler este livro, já vou no epílogo e faltam uns textos em anexo. Nunca pensei que um livro sobre uma matéria tão sensivel pudesse ser tão bom. Normalmente o trabalho de um jornalista quando fala de um movimento underground (skinhead, straight edge, hardcore, vegetarianismo) nunca é um trabalho de louvar pois peca por falta de informação dando uma noçao errada e superficial do que realmente é. Foi preciso Antonio Salas infiltrar-se no mundo dos neonazis espanhois e por sua vez na claque Ultrassur do Real Madrid para mandar cá para fora um livro que mostra bem esse mundo, que a maioria do mortal, incredulamente para mim, nao conhece.

Livro facil de ler, cada capitulo tem um excerto do Mein Kampf (Minha Luta) de Adolf Hitler no inicio, o que mostra que o escritor nao andava ali a dormir. Todos os diálogos, todas as peripécias foram gravadas por uma camara oculta e nada foi alterado para romanciar o livro ou dar enfase ás situações. O autor desvenda tudo sobre o mundo Skinhead NS, os Ultrassur e as ligações á extrema direita, os partidos politicos de direita, as lojas, os grupos arianos espanhois legalizados. Fala do esoterismo e do paganismo, em que os skinheads acreditam, chega a ir ao extremo e falar da parte satanica de alguns membros de extrema-direita (quando digo satanica por favor nao pensem que sao pessoas que matam galinhas e fazem rituais sombrios, esse é o satanismo ridiculo que se vê nos filmes) e sobre algumas bandas de metal com estes ideais. 

Aconselho a toda a gente ler este livro, pois vejo que ninguem a nao ser uma percentagem minima de pessoas sabe o que é um verdadeiro skinhead... nem sabem que o movimento nasceu na jamaica em festas de reagge e que incialmente nao tinha nada a ver com racismo ou nacional socialismo. Nem sabem que existem varios skinheads, os de extrema-direita, os SHARP (SkinHead Against Racism Prejudice = skinheads contra o racismo), os RedSkins (de extrema-esquerda)... Por falar nestes ultimos, o autor tem também um capítulo a falar destes e mostra como os extremos se tocam tantas vezes... 

Fala bastante das contradiçoes em que vivem os skinheads e o autor tem sempre o cuidado de dizer que tudo o que ele exemplifica ou escreve, é tudo consequencia de actos que viu ou ouviu dos proprios intervenientes das filmagens clandestinas que fez. Conseguimos ter noção do ridiculo que são as claques ultra dos clubes de futebol, que espancam tudo e todos só por terem cores do clube contrário... temos noção do ridiculo que é o skinhead racista no mundo, pois existem skinheads na america do sul (como podem gritar por uma naçao ariana knd eles proprios sao mestiços?), existe ou tentaram fazer com que existisse uma célula do KKK em espanha o que para mim é impensavel pois se um espanhol fosse para a america seria espancado violentamente por esse mesmo grupo por ser considerado latino! Então a parte em que fala dos skinheads islamicos... isso para mim é que foi uma novidade! E a procura do III Reich pelo berço dos arianos no Tibete e a sua ligação com a religião budista, ainda me deixou mais baralhado e confuso... 

Conseguimos perceber também que o skinhead nacional-socialista é apenas uma "maquina de guerra" manipulada pela mente de uns quantos lideres politicos para fazerem o trabalho sujo por eles! E percebemos também o porque de os clubes de futebol deixarem que estas claques nazis invadam o futebol e até ficamos chocados com certas coisas que se passam dentro dos estádios.

mas bom, para mais info sobre estes assuntos e outros leiam o livro e tentem ser menos ignorantes em relaçao a isto e parem de fazer cara de surpresa quando digo que skinheads nao tem a ver com racismo e nacional socialismo e percebam o porque!


"Diga Hitler o que disser, nenhuma ideologia tem mais valor do que a vida humana. Sobretudo se essa ideologia é uma fraude com a qual se manipula uns cordeiros disfarçados de lobos."

2 comentários:

Mil disse...

curioso e desconhecia.
Sei que livros e discos n s emprestam, mas peço á mesma para me emprestares qdo acabares ;)
abr
L.

aconstantrefrain disse...

bom post, gostei de ler. E o livro é a cima da média neste assunto realmente, lembro-me que o li em pouco mais que uma semana.