quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Bom Natal a todos


Pois é, mais um ano, mais um Natal.
Para muitos o Natal é a celebração católica do nascimento de Jesus Cristo. Uma época de compaixão e ajuntamento familiar e de troca de prendas... e no resto do ano esquecem-se que existem os outros. Não será isto um pouco hipócrita? Não gosto da troca de prendas, apenas apela ao consumismo desenfreado! E se gostam tanto das pessoas para lhes oferecer prendas, porque não o fazem durante o ano? Quando recebemos uma prenda fica sempre no ar a obrigação de retribuir e realmente há pessoas que ficam chateadas quando não são retribuídas... não será isto o contrário do tal "espírito Natalício"? Estas questões estão sempre na minha cabeça quando se fala de Natal e daí eu nao achar grande piada á troca de prendas! Penso que o Natal é para as crianças se divertirem, elas sim têm o verdadeiro espírito Natalício e acho que merecem sempre as prendas, nem que seja para lhes vermos aquele sorriso na cara, de tão contentes que ficam.

Em relação á celebração em si e o porque de o Natal ser no dia 25 de Dezembro, 3 dias depois do solsticio de Inverno, já é algo mais complicado mas que vou tentar expressar da melhor maneira.

Muitas civilizações antigas celebravam o solsticio de Inverno no dia 25 de Dezembro. Como os dias ficavam mais longos, era a celebração de uma nova era, de uma nova vida. Os Celtas iam mais além: o Inverno chegou, longas noites de frio, por vezes com pouca comida ou ração para os animais e não sabiam se ficariam vivos até a próxima estação. Faziam, então, um grande banquete de despedida no dia 25 de Dezembro. Seguiam-se 12 dias de festas, terminando no dia 6 de Janeiro.
Em Roma, o solstício do Inverno também era celebrado muitos séculos antes do nascimento de Jesus. Os Romanos chamavam-no de Saturnálias (Férias de Inverno), em homenagem a Saturno, o Deus da Agricultura, que permitia o descanso da terra durante o Inverno.
Em 274 o Imperador Aureliano proclamou o dia 25 de Dezembro, como "Dies Natalis Invicti Solis" (O Dia do Nascimento do Sol Inconquistável). O Sol passou a ser venerado. Buscava-se o seu calor que ficava no espaço muito acima do frio do Inverno na Terra. O início do Inverno passou a ser festejado como o dia do Deus Sol.

Em Roma celebrava-se o nascimento de Mitra a 25 de Dezembro, pois era o Deus que eles seguiam antes da Cristandade. Ora, e que características tinha este Deus do Mitraísmo?

Mitra (persa – romano) 1200 a.C
Nasceu dia 25 de dezembro;
nasceu de uma virgem;
teve 12 discípulos;
praticou milagres;
morreu crucificado;
ressuscitou no 3º dia;
era chamado de “A Verdade”, “A Luz”
veio para lavar os pecados da humanidade;
foi batizado;
como deus, tinha um “filho”, chamado Zoroastro.


Já ouviram isto em algum lado, correcto? E como este Deus há muitos mais: Horus (egípcio) 3000 a.C., Attis (Frígia – Roma) 1200 a.C., Krishna (hindu – índia) 900 a.C. Existem outros deuses com características muito semelhantes a estes. Estes são os mais conhecidos porque co-existiram com a nova religião, chamada de cristianismo.

Vejamos porque razão esses deuses possuem tais características:

Os deuses, na sua totalidade, possuem influências astrológicas. O Deus maior é o Sol, a luz do mundo, o “salvador”. O Sol é facilmente considerado como Deus, pois tais características são muito boas para um “salvador”. Ele traz vida, aquece, dá luz, etc.

O Solstício de inverno

Um fenómeno conhecido desde a antiguidade são os solstícios e no dia 22 de Dezembro, ocorre o início do solstício de Inverno, no qual o sol tem o seu ponto mais baixo no horizonte, devido à inclinação do eixo terrestre. Este ponto mais baixo permanece por um período de três dias, e, no dia 25 de dezembro, o sol sai deste ponto, subindo 1 grau e voltando, gradualmente, ao seu ponto mais alto, completando e finalizando assim o solstício de Verão.

Estrela Sirius e Constelação de três reis

A estrela que brilha mais forte no céu é a estrela Sirius, que no dia 25 de Dezembro fica alinhada à constelação de 3 Reis (curiosamente são 3 os Reis Magos). Este alinhamento aponta diretamente para o sol.

Sendo assim, o sol, saindo do solstício de Inverno “renasce”, movendo-se 1 grau para o norte depois de três dias (22-25) e quando renasce, é sinalizado pela estrela Sirius, seguida pela constelação de Três Reis, formando assim um alinhamento entre os três.

Entende-se que as mitologias surgiram, ou tiveram como base, estes fenómenos. O Sol, renascendo, é sinalizado pela estrela, que, formando um alinhamento com a constelação de reis e o sol, nos mostra a constelação seguindo a estrela e indo em direção ao Sol (salvador).

Então, temos a mitologia criada, de que o salvador foi sinalizado por uma estrela e que três reis foram até o salvador seguindo a estrela. Tal informação se assemelha com o relato do nascimento de Jesus.

A data de nascimento de Jesus é uma data comemorativa, que foi oficializada quase 400 anos depois de seu nascimento. Isso ocorre porque a bíblia não nos dá a informação exata sobre a data do seu nascimento. Apenas especulando, conseguimos descobrir mais ou menos a época em que Jesus nasceu. Isto aconteceu devido ao culto pagão anterior que se praticava em Roma na época (o Mitraísmo). Para a Igreja Católica triunfar teriam que "abafar" todas as celebrações já existentes com as suas próprias, não alterando datas para não "ferir susceptibilidades" e serem aceites de melhor maneira pelas novos cristãos. A comemoração do Natal de Jesus surgiu de um decreto. O Papa Júlio I decretou em 350 que o nascimento de Cristo deveria ser comemorado no dia 25 de Dezembro, substítuindo a veneração ao Deus Sol pela adoração ao Salvador Jesus Cristo. O nascimento de Cristo passou a ser comemorado no Solstício do Inverno em substituição às festividades do Dia do Nascimento do Sol Inconquistável.

Datação do Nascimento de Jesus

Jesus nasceu durante a vida de Herodes, o Grande, que os romanos haviam designado para governar a Judéia. Os calendários são contados a partir do ano em que se supõe ter nascido Jesus, mas as pessoas que fizeram essa contagem equivocaram-se com as datas: Herodes morreu no ano 4 a.C., de modo que Jesus nasceu 3 anos antes, a quando dos censos do povo Judeu, que ocorreu, exatamente, 1 ano após os censos dos outros povos também subjugados ao poder Romano. Estes censos ocorreram para facilitar aos Romanos a contagem do povo e a respectiva cobrança dos impostos. Os Judeus sempre se opuseram a qualquer tentativa de contagem, por essa razão, esta ocorreu um ano depois de ter ocorrido nos povos vizinhos.
Outra ajuda que temos para facilitar a localização da data do nascimento de Jesus foi que este ocorreu quando José foi a Belém com sua família para participar do recenseamento. Os romanos obrigaram o recenseamento de todos os povos que lhes eram sujeitos a fim de facilitar a cobrança de impostos, o que se tornou numa valiosa ajuda na localização temporal dos fatos, uma vez que ocorreu exatamente 4 anos antes da morte de Herodes, no ano 8 a.C. Entretanto, os Judeus tomaram providência no sentido de dificultar qualquer tentativa por parte dos ocupantes em contar o seu povo, pelo que, segundo a história, nas terras judaicas este recenseamento ocorrera um ano depois do restante império romano, ou seja, no ano 7 a.C.. Em Belém, o recenseamento ocorrera no oitavo mês, pelo que se concluiu que, Jesus nascera provavelmente no mês de Agosto do ano 7 a.C.

Outros factos também ajudam a estimar a data exacta. Conforme é relatado pelos textos bíblicos, no dia seguinte ao nascimento de Jesus, José fez o recenseamento da sua família, e um dia depois, Maria enviou uma mensagem a Isabel relatando o acontecimento.

A apresentação dos bebés no templo, bem como a purificação das mulheres teria de ocorrer até aos vinte e um dias após o parto. Jesus foi apresentado no templo de Zacarias, segundo os registos locais, no mês de Setembro num sábado. Sabe-se que Setembro do ano 7 a.C. teve quatro sábados: 4, 11, 18 e 25. Como os censos em Belém ocorreram entre 10 e 24 de Agosto, o sábado de apresentação seria o de 11/09. Logo Jesus teria nascido alguns dias depois de 21 de Agosto do ano 7 a.C..


Bem... poderia estar aqui a alongar-me imensamente sobre esta questão, principalmente no que toca ao tema sobre a Igreja Católica e não somente sobre o Natal... mas o melhor talvez será ver este video:


De qualquer maneira, desejo que o verdadeiro espírito e harmonia de Natal vos encha por dentro!